Magia de amarração do Mago Aznaturas

Magia vermelhaMagia de amarração do Mago Aznaturas

 

O Mago Aznaturas, em 1548, pouco antes de sua morte, elaborou um ritual de amarração, que segue:

A amarração deve ser feita numa sexta-feira de Lua Cheia, num mês ímpar do ano, sendo iniciada às vinte e uma horas em ponto, sob a luz de sete velas pretas.

Inicialmente, faça duas figuras de cera (parafina ou cera de abelha), ainda que rudimentares, representando um homem e uma mulher. Se você é um homem e quer dominar uma mulher, a figura dela deverá estar ajoelhada e com as mãos para trás. Se você for mulher e quiser dominar um homem, a figura dele deverá estar como mencionado, de joelhos e com as mãos para trás.

Nos dois bonecos acrescente elementos reais: fios de cabelo, unhas, uma roupa improvisada com um retalho tirado de uma roupa velha, etc…

Antes de vestir a figura ajoelhada, risque com uma agulha a seguinte palavra em suas costas: GAMAHÉ.

Pegue um carretel de linha preta e comece a enrolá-la no boneco ajoelhado, iniciando pela cabeça. Vá dizendo o seguinte, enquanto faz isso:

Eu te amarro assim,

Para nunca fugir de mim.

Quando terminar de enrolar todo o carretel de linha preta no boneco, pegue um outro e vá prendendo os dois bonecos, um ao outro, enrolando a linha nos dois, até o final. Quando terminar, apague as sete velas e vá com tudo isso para um local bem amplo e aberto.

Acenda as velas formando um círculo, abra um buraco e acomode os bonecos lá dentro.

Faça, então, a seguinte Oração:

“Pelos poderes da Terra, pela presença do Fogo, pela inspiração do Ar, pelas virtudes da Água, invoco e conjuro Layzel, Raghaz, Phallas Demodeus e Marithym de Meneluz, pela força dos corações sangrados e das lágrimas derramadas por amor, para que se dirijam à rua… (citar), na casa… (citar), onde está… (citar a pessoa), trazendo seu espírito até mim, amarrando-o definitivamente ao meu.

Que esse espírito se banhe na essência do meu amor e me devolva amor em dobro.

Que jamais deseje outro(a) e que seu corpo apenas a mim pertença.

Que não beba, não coma, não fale, não ouça, não cheire e não veja a não ser na minha presença, pois se não fizer isso, a terra se abrirá e a natureza estremecerá.

Que os meus grilhões a(o) prendam para sempre, pelos poderes desta oração.”

Imediatamente em seguida, enterrar os dois bonecos e espetar as velas no local onde eles foram enterrados. Esperar alguns minutos, até sentir a presença da outra pessoa. Só então ir embora.

 

Observação: Esse tipo de simpatia mexe com forças um tanto instáveis e esta é a razão de sua força. Apesar disso, seus resultados não são permanentes, pois se uma amarração mais forte for feita, pedindo pela libertação de todas amarrações anteriores, ela se desmanchará automaticamente. Se você quiser desmanchá-la, no entanto, terá de retornar ao local, desenterrar os bonecos e com uma faca afiada cortar todos os laços que prendiam os dois bonecos, deixando um deles ali e levando o outro para bem longe, onde deverá ser igualmente enterrado.

Portal a&e«« Voltar ao tema: Amarrações

(Visited 2.118 times, 1 visits today)
Partilhe, recomende e vote neste artigo