….

.

 

 ……..

 

.

. santos&santas

Espaço dedicado a todos os Santos e Santas

ORAÇÕES AOS SANTOS

ORAÇÕES A SANTO AGOSTINHO

 

 

Santo Agostinho

BISPO DE HIPONA

354-430

Celebra-se a 28 de Agosto

Vida de Santo Agostinho: Ver

“Mesmo que já tenhas feito uma longa caminhada, há sempre um caminho a fazer” – Santo Agostinho

 

Oração a Santo Agostinho   

 

Bem-aventurado Santo Agostinho, lembrai-vos, na vossa glória, dos pobres pecadores. Como Vós outrora, eles hoje trilham os caminhos do mal, arrastados pela ignorância ou pelas paixões.

Compadecei-vos deles e fazei que, nas suas mentes e nos seus corações, irradie a luz da verdade e triunfe a força da graça a fim de que, à vossa imitação, quebrem os grilhões do pecado que os escraviza, espantem as trevas do erro que os sufoca e, vencidos pela ternura das consolações divinas, a Deus se convertam e vivam como filhos obedientes e soldados destemidos da Igreja. Assim seja. Amém.

 

Oração a Santo Agostinho   

 

Tu, Senhor, que cuidas do mundo e escolhes os homens para anunciar a felicidade, concede-nos, que através de santo Agostinho, Te encontremos em nós mesmos e caminhemos na perfeição do espírito.

Que sejamos capazes de amar a quem Te ama, ao amigo em Ti e ao inimigo por Ti; que nossa felicidade seja conhecer-Te, ainda que ignoremos tudo e fiquemos só contigo.

Tu, Senhor, que iniciaste uma obra de perfeição em cada um de nós e nos deste a vocação e liberdade para cumprir nosso destino, faz presente Tua promessa em cada um de nós para que sejamos felizes portadores de Tua santidade e de Tua graça.

Por Jesus Cristo Nosso Senhor.

Que Assim Seja.

 

Pedir a graça que se deseja

1 Pai Nosso e 3 Ave Marias.

Santo Agostinho, rogai por Nós!

 

Oração a Santo Agostinho, para alcançar a salvação

 

Socorrei-me, Senhor e vida minha, a fim de que não venha a morrer na minha maldade. Se não me criásseis, não existiria; criastes-me, passei a existir; se não me dirigirdes, cessarei de existir.

Não foram encantos ou méritos meus que vos compeliram a dar-me o ser, senão a vossa infinita munificência. Suplico-Vos, pois, que aquele mesmo amor que Vos compeliu à minha criação, possa igualmente compelir-Vos a reger-me; porquanto, que aproveita haver-Vos o vosso amor compelido a criar-me, se eu morrer na minha miséria, privado da direção de vossa destra?


          Obrigue-Vos, Senhor, a salvar-me essa mesma clemência que Vos levou a tirar do nada o que jazia no nada; vença-Vos em libertar-me a caridade que Vos venceu em criar-me, pois não é hoje menor este vosso atributo do que era então.

A caridade sois Vós mesmos, que sempre sois e não mudais. Não se Vos encurtou a mão, que não possais salvar-me; nem se Vos endureceu o ouvido, que não mais Vos seja dado ouvir-me.

 

Oração de Santo Agostinho

 

Tarde vos amei, ó beleza tão antiga e tão nova, Tarde vos amei! Eis que habitáveis dentro de mim, e eu lá fora procurando-vos! Disforme, lançava-me sobre estas formosuras que criastes. Estáveis comigo, e eu não estava convosco! Retinha-me longe de Vós aquilo que não existia se não existisse em Vós. Porém, chamastes-me com uma voz tão forte que rompestes a minha surdez! Brilhastes, cintilantes, e logo afugentastes a minha cegueira! Exalastes perfume: Respirei-o suspirando por Vós. Tocastes-me e ardi no desejo de Vossa paz! Só na grandeza de Vossa misericórdia coloco toda a minha esperança. Dai-me o que me ordenais, e ordenai-me o que quiserdes .

(Conf.X, 27 e 29)

 

Oração a Santo Agostinho   

Oração do Papa João Paulo II

 

Ó grande Agostinho, nosso pai e mestre,
conhecedor dos luminosos caminhos de Deus
e também das estradas sinuosas dos homens,
nós admiramos as maravilhas que a Graça divina
realizou em ti, tornando-te apaixonada testemunha da verdade e do bem, a serviço dos irmãos.

No início de um novo milénio, marcado pela Cruz de Cristo, ensina-nos a ler a história na luz da Providência divina,
que guia os acontecimentos rumo ao encontro definitivo com o Pai.

Orienta-nos em direcção às metas de paz, alimentando no nosso coração a tua própria aspiração por aqueles valores sobre os quais é possível construir,
com a força que provêm de Deus, a "cidade" à medida do homem.

A profunda doutrina, que com estudo amoroso e paciente, hauriste das fontes sempre vivas da Escritura,
ilumine quantos hoje são tentados por miragens alienadoras.

Obtenha para eles a coragem de empreender o caminho em direcção àquele "homem interior" no qual aguarda Aquele, que somente Ele, pode dar paz ao nosso coração inquieto.

Muitos dos nossos contemporâneos parecem ter enfraquecido a esperança de poder alcançar a verdade, entre as tantas ideologias contrastantes, da qual todavia o seu íntimo conserva uma pungente saudade.

Ensina-lhes a nunca desistir da busca, na certeza de que, no final, a sua fadiga será premiada pelo encontro consolador com aquela Verdade suprema que é fonte de toda verdade criada.

Enfim, ó Santo Agostinho, transmite também a nós uma chama daquele fervoroso amor pela Igreja, a Catholica mãe dos santos, que sustentou e animou os cansaços do teu longo ministério. Faz com que, caminhando juntos sob a guia dos legítimos Pastores, alcancemos a glória da Pátria celeste, onde, com todos os Bem-aventurados, poderemos nos unir ao cântico novo do aleluia sem fim.

Amém.

(In http://www.vatican.va/)

 

Oração a Santo Agostinho   

 

Diante de Vós, Senhor, apresentamos o fardo dos nossos crimes e simultaneamente as feridas que por causa deles recebemos.

Se pensarmos no mal que fizemos, é bem pouco o mal que sofremos e muito maior o que merecemos. Foi grave o que ousamos cometer e leve o que agora sofremos. Sentimos que é dura a pena do pecado e no entanto não nos decidimos deixar a ocasião dele. A nossa fraqueza geme esmagada sob o peso dos castigos com que nos punis justamente, e a nossa maldade não quer se desfazer dos seus caprichos. O espírito anda atormentado, mas a cerviz não se verga.

A nossa vida suspira no meio das dores e não nos corrigimos.

Se contemporizardes conosco, não nos emendamos, e se tirais de nós vingança, gritamos que não podemos. Se nos castigais, sabemos declarar que somos réus, mas se afastais por um pouco a Vossa ira, esquecemos logo o que deploramos.

Se levantardes a mão, logo prometemos a emenda, se retirais aespada, já nos esquecemos da promessa. Se nos feris, gritamos que nos perdoeis, se nos perdoais logo entramos de Vos provocar. Tendes-nos aqui, Senhor, diante de Vós, confessamos os nossos pecados; se Vos não amerceais de nós, aniquilar-nos-á a Vossa justiça.

Concedei-nos Pai onipotente, o que sem merecimento algum de nossa parte Vos pedimos, Vós que nos tirastes do nada. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Amém.

V. Senhor, não nos trateis segundo os nossos pecados.
R. Nem nos castigueis segundo as nossas iniqüidades.

Oremos – Ó Deus, a quem o pecado ofende e a penitência propicia, olhai favoravelmente para as preces do Vosso povo e relegai para longe os vossos castigos da Vossa ira, que merecemos com os nossos pecado. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

Oração de Santo Agostinho

 

Senhor Jesus, que me conheça a mim e te conheça a Ti,
Que não deseje outra coisa senão a Ti.
Que me odeie a mim e te ame a Ti.
E que tudo o faça sempre por Ti.
Que me humilhe e que te exalte a Ti.
Que não pense nada mais senão em Ti.
Que me mortifique, para viver em Ti.
E que aceite tudo como vindo de Ti.
Que renuncie ao que é meu e te siga só a Ti.
Que sempre escolha seguir-te a Ti.
Que fuja de mim e me refugie em Ti.
E que mereça ser protegido por Ti.
Que me tema a mim e tema ofender-te a Ti.
Que seja contado entre os escolhidos por Ti.
Que desconfie de mim e ponha toda minha confiança em Ti.
E que obedeça aos outros por amor a Ti.
Que a nada dê importância senão só a Ti.
Que queria ser pobre por amor a Ti.
Olha-me, para que só te ame a Ti.
Chama-me, para que só te procure a Ti.
E concede-me a graça de gozar sempre de Ti.
Amém.
(Fonte: Seleta de Orações - Editora Quadrante, in Apostolado Sociedade Católica)

 

Oração de Santo Agostinho

 

Oração a Jesus Cristo:

Vós sois, ó Jesus, a face do pai Santíssimo, meu Deus misericordiosíssimo, meu Rei infinitamente grande, sois boníssimo Pastor, meu único Mestre, meu auxílio cheio de bondade, meu Deus bem-amado de uma beleza maravilhosa, meu Pão vivo descido dos céus, meu Sacerdote Eterno, meu guia para a Pátria Celeste, minha verdadeira luz, minha santa doçura, meu reto caminho, minha sapiencia, minha pura simplicidade, minha paz e concórdia; sois, enfim, toda a minha salvação, minha herança preciosa, minha eterna salvação…

Ó Jesus Cristo, amável Senhor, por que, em toda a minha vida, amei, porque desejei outro tesouro se não Vós? Onde estava eu quando não pensava em Vós? Ah! que pelo menos a partir deste momento meu coração só deseje a Vós e por Vós se abrase, Senhor Jesus!

Desejos de minha alma, correi, que já bastante tardastes; apressai-vos para o fim a que aspirais; procurai em verdade Aquele que procurais.
Ó doce Jesus, sede o amor, as delícias, a admiração de todo coração dignamente consagrado a Vossa Majestade.

Deus de meu coração e minha partilha sagrada, Jesus Cristo, que em Vós meu coração desfaleça, e sede Vós mesmo a minha vida.

Acenda-se em minha alma a brasa ardente de Vosso amor e se converta num incêndio todo divino, a arder para sempre no altar de meu coração, que inflame o íntimo de meu ser, e abrase a âmago de minha alma; para que no dia de minha morte eu apareça diante de Vós inteiramente consumido em Vosso amor. Amém

 

Oração de Santo Agostinho, pelas almas do purgatório

 

Dulcíssimo Jesus meu, que para redimir ao mundo quisestes nascer, ser circuncidado, desprezado pelos judeus, entregado com o beijo de Judas, atado com cordas, levado ao suplício, como inocente cordeiro; apresentado ante Anás, Caifás, Pilatos e Herodes; cuspido e acusado com falsos testemunhos; esbofeteado, carregado de opróbrios, despedaçado com açoites, coroado de espinhos, golpeado com a cana, coberto o rosto com uma púrpura por zombaria; desnudado afrontosamente, cravado na cruz e levantado nela, posto entre ladrões, como um deles, dando-vos a beber fel e vinagre e ferido o Coração com a lança. Livrai, Senhor, por tantas e tantas acerbadíssimas dores que haveis padecido por nós, as almas do purgatório das penas em que estão; levando-as a descansar na vossa Santíssima Glória, e salvai-nos, pelos méritos de vossa Sagrada Paixão e por vossa morte de cruz, das penas do inferno para que sejamos dignos de entrar na posse daquele Reino, onde levastes ao bom ladrão, que foi crucificado convosco. Vós que viveis e reinais com o Pai e o Espírito Santo pelos séculos dos séculos. Amém.

 

 

Novena a Santo Agostinho

 

Oração para todos os dias:

Peregrino e enfermo, volto a Vós, Deus meu, cansado de peregrinar fora de Vós, e agoniado pelo grave peso de meus males.

Tive visto; tive experimentado: fora de Vós não há abrigo, nem fartura, nem descanso, nem bem algum que sacie os desejos da alma que criaste.

Eis-me, pois, aqui, desnudo e faminto e miserável, oh!Deus de minha saúde!

Abri-me as desejadas portas de vossa casa; perdoai-me; recebei; sanai de todas minhas enfermidades; ungi-me com o óleo de vossa graça, e dai-me o prêmio de paz que prometestes ao pecador contrito e humilhado.

A quem, senão a Vós, chamarei, desde o profundo abismo de meus males.

Oh! Deus meu e misericórdia minha.

Como o cervo ferido deseja a corrente das águas, assim minha alma corre a Vós, sedenta de vosso amor, e deseja vosso rosto amabilíssimo.

Oh! Verdade! Oh! Beleza infinitamente amável de Deus! quão tarde vos amei!, quão tarde vos conheci! e quão infeliz foi o tempo em que não vos ame nem conheci!

Meus delitos me tem envilecido; minhas culpas me têm afetado; minhas iniqüidades têm sobrepujado, como as ondas do mar, por cima de minha cabeça.

Quem me dera, Deus meu, um amor infinito para amar-vos, e uma dor infinita para arrepender-me do tempo em que não vos ame como devia!

Mas, em fim, vos amo e vos conheço, Bem sumo e Verdade suma, e com a luz que Vós me dais me conheço e me aborreço, pois eu tenho sido o principio e a causa de todos os meus males.

Que eu Vós conheça, Deus meu, de modo que vos ame e não vos perda!

Conheças a mim, de sorte que consiga arrepender-me e não me busque em coisa alguma minha felicidade a não ser em Vós, Senhor meu!

Ame-Vos eu, meu Deus, e suma Riqueza de minha alma, de modo que mereça possuir-Vos! E aborreça-me a mim de modo tal que me veja livre da grande miséria de mim mesmo!

Morra eu a mim, que sou causa de minha morte, para não morrer com morte sempiterna! E viva eu para Vós, Deus meu e Vida minha, de modo que Vós sejas minha verdadeira vida e minha Saúde perfeita para sempre! Amém. Rezar a Oração correspondente ao dia: Oração final para todos os dias:

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho Doutor sapientíssimo da graça, Custodio fidelíssimo da fé, Patriarca felicíssimo da grande família agostiniana e de tantas famílias religiosas que abraçaram vossa apostólica Regra, como amplíssimo caminho de perfeição e santidade!

Recordai-vos, na abundância de vossa glória e nas eternas alegrias da pátria, dos que todavia gememos na tribulação e no desterro; não vos esqueçais em vosso coração, cheio já dos deleites de Deus, dos Filhos, dos amigos, dos pecadores, que vos chamam e buscam como a um pai, como a amigo. Como um poderoso mediador ante o Deus das misericórdias e das justiças sempiternas. Volte a tratar com santidade para com o ímpio, da justiça com o injusto, da ordem e da paz com os que imperam e governam, do salário da eternidade com os obreiros do tempo, do gozo e da posse do sumo bem com todos os filhos da dor e do trabalho. Volte a cair sobre a terra o rocio de vossa palavra! Voltem a florescer as santidades nos claustros vossos monges e de vossas virgens! Volte, como em dias de triunfo, a respirar com alegria a militante Igreja sob a sombra de vosso báculo! Pai e Pastor amantíssimo, que não querias vossa salvação senão salvando a vosso povo: não vos esqueçais agora, que estais no lugar seguro, de nós que nos achamos todavia em meio da batalha e do perigo; cobri-nos a todos sob as alas de vossa caridade e vosso zelo; guardai-nos a todos no redil do Divino Pastor, Cristo; conduzi-nos pela senda feliz de sua Lei, e levai-nos convosco aos eternos passos de sua glória, onde juntamente convosco nos vejamos na inefável companhia do Pai e do Espírito Santo, e Ele seja nosso Deus, e nós sejamos seu povo pelos séculos dos séculos. Amém.

 

Primeiro Dia:

Começar com a oração inicial para todos os dias

Vocação divina.

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, que por divina providência fostes chamado das trevas da gentilidade e dos caminhos do erro e da culpa a admirável luz do Evangelho e aos retíssimos caminhos da graça e da justificação para ser ante os homens vaso de predileção divina e brilhar em dias calamitosos para a Igreja, como estrela da manhã entre as trevas da noite: alcançai-nos do Deus de toda consolação e misericórdia o sermos chamados e predestinados, como Vós o fostes, a vida da graça e a graça da eterna vida, onde juntamente convosco cantemos as misericórdias do Senhor e gozemos a sorte dos eleitos pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta Novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho. Terminar com a oração final para todos os dias.

 

Segundo Dia:

Conversão a Deus.

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, que na hora feliz de vossa conversão a Deus fostes iluminado de tal modo pela luz da verdade divinamente revelada, que em vossa inteligência não sobrou lugar algum para as trevas que a obscureciam, nem em vosso Coração escorria algum dos amores da terra, e naquele ponto tornastes um doutor e mestre de uma ciência divina que antes não compreendias, e resplandecente de uma caridade tão nova e tão divina que vos fez aborrecer tudo o que antes amavas: Alcançai-nos do Deus de toda piedade e misericórdia a graça de converter-nos a Ele de tal maneira que não habite jamais em nós a cegueira e corrupção do homem velho, e sejamos vestidos totalmente de luz e da graça do novo Adão, Jesus Cristo Senhor Nosso, o qual seja nossa vida e nosso amor pelos séculos dos séculos. Amém

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho.

 

Terceiro Dia :

Perseverança.

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, que desde o dia feliz de vossa conversão soubestes já correr e saltar com alegria pelos caminhos do temor do Senhor, sem desfalecer jamais, nem voltar os olhos as antigas sendas de vossa juventude, porque na escola daquele santo temor aprendestes a sabedoria, a disciplina, a justiça e a equidade, que foram coroa de graças para vossa cabeça e colar de pérolas preciosas para vossa alma: alcançai-nos do Deus de toda Providência e sabedoria e aquela sagacidade que faz sábios aos meninos, e aquele entendimento que da prudência aos adultos, para que sejamos aprendizes de vossos altíssimos exemplos, até conseguir, como vós, o premio dos que vencem e a coroa dos que triunfam em Jesus Cristo Nosso Senhor pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta Novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho

 

Quarto Dia

Castidade.

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, que, desde o dia em que felizmente rompestes as cadeias da antiga servidão do pecado, de tal modo vos consagrastes a Deus e ao estudo da verdadeira sabedoria, que não quisestes outra esposa que a excelsa virtude da castidade, e nela soubestes encontrar a veia do contentamento e da alegria de vosso coração, aborrecendo para sempre as turvas e corrompidas águas das cisternas da terra: alcançai-nos do Deus poderoso das virtudes a graça de saber desatar-nos de todo vínculo, não santo, de carne e sangue, de modo que permaneçamos livres, puros e castos, como anjos de Deus, sobre a terra, para que sejamos dignos, um dia, de alcançar, como vós, o premio dos limpos de coração, que é ver a Deus, frente a frente, entre os incriados resplendores de sua glória pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta Novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho.

 

Quinto Dia:

Pobreza

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, que, ao sumergir-vos nas águas purificadoras do Batismo, de tal modo vos desnudastes, naquele instante, do afeto as coisas da terra, que já não pensastes senão em abraçar-vos com a apostólica virtude da pobreza, e não contente com abraçá-la e pratica-la, com a incrível estima de sua beleza, persuadistes a muitos e sobre ela fundastes o edifício imenso de vossa admirável e Santa Religião: alcançai-nos, do Deus que vos inspirou tanto amor a perfeitíssima pobreza, a graça de viver e morrer, como verdadeiros pobres de Cristo, despossuidos de todo apego às coisas perenes da terra, e fixo sempre o Coração e o pensamento nos bens eternos do céu, para que, livres do peso inútil daquelas coisas passageiras, mereçamos, como vós, a posse feliz das coisas do céu pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta Novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho.

 

Sexto Dia:

Obediência

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, que, desde o dia para sempre memorável em que vos incorporastes a Igreja de Cristo, de tal modo reconhecestes sua divina autoridade sobre os homens, que confessavas não poder ser filho da fé se não o fostes antes da Igreja, e com a palavra e o exemplo confirmastes aos fiéis na universal e absoluta submissão a cátedra de São Pedro: alcançai-nos, do Deus que se fez a si mesmo obediente até a morte, a graça de não nos separarmos jamais da unidade santa de sua Igreja e de render nosso juízo e vontade aos Prelados que em nome da Igreja nos governam, com aquela docilidade que é porta infalivel da eterna vida, a fim de que mereçamos, um dia, as vitórias dos que dignamente obedecem e a glória dos que sabiamente se humilham pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta Novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho.

 

Sétimo Dia:

Humildade

Gloriosíssimo pai Santo Agostinho, que, e rodeado dos esplendores da dignidade altíssima de que vos haveis investido na Igreja de Deus, não vos esquecias de olhar ao abismo da humana fragilidade e miséria, e, embriagado do vinho generoso da compunção pelos passados extravios de vossa juventude, vos confessastes a perante o mundo para vossa humilhação e justíssima glória e glorificação da graça e das grandes misericórdias do Senhor: alcançai-nos do Deus justíssimo e misericordiosíssimo, que abate até o inferno aos soberbos e exalta até sua glória aos humildes, a graça de adorar com reverencia seus tremendos juízos, reconhecendo com verdadeira luz nossos pecados, e confessando com amor suas divinas misericórdias, para que, livres da confusão e ignomínia dos soberbos. mereçamos, um dia, ser exaltados como os humildes, entre os verdadeiros filhos de Deus, pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta Novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho.

 

Oitavo Dia:

Santidade

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, "belo sol" entre os Doutores da Igreja; "lua cheia" entre os sábios de todos os tempos, que de vós tomam a sombra da sabedoria; "alto cipreste" entre os confessores, por vossa magnanimidade e fortaleza; "fresco e fragantíssimo lírio" entre os castos e inocentes, que não haveis manchado nunca a branca estola do batismo que uma vez recebestes; "árvore de oloroso incenso" pela devoção e contemplação com que penetrastes os mistérios divinos; "arco-íris" de paz entre Deus e os homens em dias calamitosos e terríveis para todo o mundo; "lindíssima palmeira, rodeada de ramos e carregada de preciosíssimos frutos", como Pai e Patriarca de uma grande família de monges e de virgens; "rico vaso de ouro, guarnecido de pedras preciosas", porque resplandeceis entre os Santos pela beleza e variedade de vossas virtudes e pelo brilho de vossa caridade sem defeitos: alcançai-nos do Deus três vezes Santo e Amador de toda santidade a graça de ser, a semelhança vossa, sábios na doutrina, magnânimos na fortaleza, imaculados nas costumes, amantes da Oração e do retiro, pacíficos com todos nossos irmãos, resplandecentes com a luz do bom exemplo, e em toda virtude ricos, cheios e perfeitos, de acordo a nossa vocação e estado, de modo que mereçamos, algum dia, estar onde vós estais entre os santos pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho.

 

Nono Dia:

Zelo

Gloriosíssimo Pai Santo Agostinho, zelosíssimo defensor da honra do Altíssimo, que, inflamado na chama de um zelo abrasador e divino, tirastes da terra as abominações da impiedade; procurastes de mil modos a saúde de todas as gentes, e velastes pela glória do Senhor, pelo decoro de seu templo e a santidade de seus sacerdotes: alcançai-nos do Deus Santíssimo e zelosíssimo da glória de sua nome, e que tem por nome "fogo abrasador", que se digne acender em nossos corações aquele sagrado fogo que abrasava o vosso, a fim de que arda sempre em nós aquele zelo que purifica e não destrói, que corrige e não afronta, que tudo repara e edifica, mas nunca se envanece com o triunfo, porque da toda a glória Deus somente pertence, a quem somente se deve e a quem seja toda honra e toda a glória pelos séculos dos séculos. Amém.

Meditemos uns instantes e peçamos a graça que desejamos conseguir nesta Novena.

Três Pai-Nossos, Ave-Maria e Glórias a Santíssima Trindade, em memória da devoção com que venerou este Mistério o grande padre e Doutor da Igreja Santo Agostinho.

 

Oração ao Divino Espírito Santo, composta por Santo Agostinho

 

 

Divino amor, ó vínculo sagrado que unis o Pai e o Filho, Espírito onipotente, fiel consolador dos aflitos, penetrai nos abismos profundos de meu coração e fazei aí brilhar vossa resplandecente luz.

Derramai vosso doce orvalho sobre esta terra deserta, a fim de fazer cessar sua longa aridez.

Enviai os dardos celestes de vosso amor até o santuário de minha alma, de modo que nela penetrando acendam chamas ardentes que consumam todas as minhas fraquezas, minhas negligências e meus langores.

Vinde, vinde doce Consolador das almas desoladas, refúgio no perigo e protetor na aflição desamparada.
Vinde, Vós que lavais as almas de suas sordícies e que curais suas chagas.
Vinde, força dos fracos, apoio daqueles que caem.
Vinde, doutor dos humildes e vencedor dos orgulhosos.
Vinde, pai dos órfãos, esperança dos pobres, tesouro dos que estão na indigência.
Vinde, estrela dos navegantes, porto seguro dos náufragos.
Vinde, força dos vivos e salvação dos moribundos.
Vinde, ó Espírito Santo, vinde e tende piedade de mim. Tornai minha alma simples, dócil e fiel, e condescendei com minha fraqueza. Condescendei com tanta bondade, que minha pequenez ache graça diante de vossa grandeza infinita, minha impotência diante de vossa força, minhas ofensas diante da multidão de vossas misericórdias. Amém.

back00portala&eVoltar a: Vida dos Santos » Ver

                                           Santos e Santas --» Ver

                              Home: Portal Astrologia e Esoterismo

 

backicon_a&e_ideiaVeja também:

 

….

 

 

 

 

 

 

portalicon284Não perca: mais temas relacionados
 

....…..

 

Anúncios a&e:

 

 

….

 












Links Patrocinados:

 


 




 

logobannerportalae_456t

Portal a&e © - Enciclopédia e motor de busca em língua portuguesa